NotíciasINSS

FIM da contribuição previdenciária para APOSENTADOS? Nova proposta pode LIBERAR idosos dessa obrigação!

Mesmo após a aposentadoria, idosos continuam contribuindo com o INSS. Contudo, isso pode mudar em breve.

A contribuição previdenciária ao INSS é uma obrigação para todos os trabalhadores ativos, mas a continuidade dessa contribuição após a aposentadoria tem sido um tema controverso.

Recentemente, uma proposta legislativa busca isentar aposentados dessa obrigação, trazendo alívio para muitos que continuam trabalhando após a aposentadoria.

Entender a razão dessa contribuição, a proposta de isenção e o andamento dessa iniciativa é crucial para aposentados e para aqueles próximos da aposentadoria. Confira a seguir essas questões em detalhes.

Aposentados podem estar perto de fugir da obrigação da contribuição previdenciária em breve. Confira.
Aposentados podem estar perto de fugir da obrigação da contribuição previdenciária em breve. Confira. / Crédito: @jeanedeoliveirafotografia / beneficiodoidoso.com.br

Por que mesmo após aposentar ainda há contribuição ao INSS?

Mesmo após a aposentadoria, muitos beneficiários continuam no mercado de trabalho e, por isso, permanecem sujeitos à contribuição previdenciária sobre sua remuneração.

A legislação previdenciária brasileira estabelece que todo indivíduo que exerce uma atividade remunerada deve contribuir para o INSS, independente de já estar aposentado.

Isso se aplica a qualquer forma de trabalho, seja como empregado com carteira assinada, autônomo ou empresário.

O objetivo dessas contribuições contínuas é manter o financiamento do sistema previdenciário e assegurar a sustentabilidade dos benefícios para todos os segurados.

A Emenda Constitucional 41, aprovada em 2003, trouxe mudanças significativas ao sistema previdenciário, mas manteve a obrigatoriedade da contribuição para aposentados que continuam a trabalhar.

Isso significa que, mesmo após se aposentar, se o indivíduo permanecer no mercado de trabalho, ele deverá continuar contribuindo ao INSS sobre os rendimentos recebidos.

No entanto, essa contribuição não traz benefícios adicionais ao aposentado, como aumento no valor da aposentadoria ou acesso a novos benefícios previdenciários, o que tem gerado questionamentos sobre sua justiça e necessidade.

Saiba mais: Como Resolver Problemas com Aposentadoria Bloqueada? Guia para Idosos!

Proposta prevê isenção da contribuição previdenciária para aposentados

Diante das críticas e do impacto financeiro negativo sobre aposentados que continuam trabalhando, surgiu a proposta de Emenda Constitucional (PEC) 555/2006, que visa isentar aposentados da contribuição previdenciária sobre seus rendimentos de trabalho.

A proposta argumenta que é injusto exigir contribuições adicionais de aposentados que não terão retorno em benefícios previdenciários, uma vez que já completaram o período contributivo necessário para a concessão de sua aposentadoria.

A PEC 555/2006 tem como objetivo principal eliminar a contribuição previdenciária dos servidores públicos aposentados.

A proposta recebeu apoio de diversas entidades de classe e associações de aposentados, que argumentam que a cobrança é uma penalização desnecessária para aqueles que já contribuíram durante toda a sua vida laboral.

Além disso, a PEC também visa unificar regras e mudar a base de cálculo para incluir critérios de incapacidade, buscando uma maior justiça social e adequação ao atual cenário econômico.

Veja outros: Lula Anuncia que Não Vai Mexer nas Aposentadorias: O Impacto para os Idosos!

Tramitação da proposta e como ela beneficia aposentados

A PEC 555/2006 está pronta para ser votada no plenário da Câmara dos Deputados, após tramitar por diversas comissões e receber pareceres favoráveis.

Recentemente, durante uma audiência pública na Comissão de Legislação Participativa, deputados e representantes de associações reforçaram a necessidade de pressão política para que a proposta seja incluída na pauta de votações.

O deputado Glauber Braga (PSOL-RJ) sugeriu a tramitação conjunta da PEC 555/2006 com a PEC 624, que visa modificar regras gerais e incluir critérios de incapacidade, aumentando a possibilidade de aprovação das mudanças.

Se aprovada, a PEC 555/2006 representará um alívio financeiro significativo para os aposentados que continuam trabalhando, eliminando a contribuição previdenciária sobre seus rendimentos.

Isso não apenas aumentará o poder de compra desses aposentados, mas também corrigirá uma injustiça percebida por muitos como uma dupla cobrança.

A eliminação dessa contribuição pode incentivar mais aposentados a permanecerem no mercado de trabalho, contribuindo com sua experiência e habilidades, sem o ônus adicional de uma contribuição previdenciária que não lhes traz benefícios adicionais.

A tramitação dessa proposta é acompanhada de perto por diversas entidades e movimentos de aposentados, que continuam a pressionar os líderes políticos para garantir sua aprovação.

A mudança trará mais justiça e aliviará a carga financeira sobre aqueles que, após uma vida de contribuições, merecem desfrutar de uma aposentadoria digna sem penalizações adicionais.

Não perca: Aposentado, tenha CUIDADO: há GRANDES chances de você PERDER seu benefício neste mês; entenda!

TRF4 Dispensa Contribuições Mínimas Urbanas para Aposentadoria Híbrida

A Turma Regional de Uniformização dos Juizados Especiais Federais da 4ª Região (TRF4) determinou que não é necessário um número mínimo de contribuições urbanas para a concessão da aposentadoria por idade híbrida.

Esta modalidade de aposentadoria é destinada a segurados que têm tempo de contribuição tanto rural quanto urbano. A decisão veio após uma trabalhadora rural de 67 anos, que teve seu pedido de aposentadoria rural negado, solicitar a aposentadoria híbrida.

A 3ª Turma Recursal do Paraná inicialmente negou o pedido, alegando que a segurada tinha apenas uma contribuição urbana.

No entanto, a TRF4 decidiu que essa única contribuição urbana é suficiente, dispensando um número mínimo de contribuições urbanas.

O caso agora retornará à Turma Recursal para um novo julgamento, conforme a decisão da TRF4, que reforça o direito à aposentadoria híbrida mesmo com apenas uma contribuição urbana.

Novo Benefício de R$ 1.412 do INSS para Milhares de Pessoas

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) anunciou um novo benefício de R$ 1.412 destinado a milhares de beneficiários do Benefício de Prestação Continuada (BPC), sem necessidade de contribuição anterior.

Durante o mês de julho, serão realizados mutirões no Rio de Janeiro para agilizar o atendimento e processamento dos pedidos do BPC, que proporciona auxílio financeiro a idosos e pessoas com deficiência de baixa renda.

Esses mutirões ocorrerão aos sábados, das 7h às 14h, em diversas agências na capital e na Baixada Fluminense, com um total de 1.440 vagas disponíveis.

Os interessados devem agendar previamente pelo telefone 135 ou pelo site/aplicativo Meu INSS. O BPC é destinado a indivíduos com renda familiar per capita de até ¼ do salário mínimo (R$ 353), mas não inclui o 13º salário nem pensão por morte.

A ação busca reduzir filas e assegurar uma assistência financeira mais digna e eficiente para os necessitados.

Nicole Ribeiro

Formada em Letras - Português pela Universidade do Estado de Minas Gerais, redatora freelancer e revisora de artigos e textos acadêmicos. Apaixonada por gatos e pelo conhecimento.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo