NotíciasINSS

Cortes na Previdência podem DIMINUIR valor de pensões e aposentadorias? Entenda os IMPACTOS para beneficiários

Nos últimos dias, a discussão sobre a redução dos gastos públicos tem ganhado destaque no cenário político e econômico brasileiro.

O Ministro da Fazenda, Fernando Haddad, já sinalizou a necessidade de cortes nas despesas obrigatórias para cumprir a Lei do Arcabouço Fiscal.

Contudo, não especificou quais áreas serão impactadas, aumentando a especulação sobre possíveis cortes na Previdência Social.

A importância desse tema reside no impacto que esses cortes podem ter na economia e na vida de milhões de brasileiros. Entenda.

Os cortes na previdência podem gerar impactos diretos nos pagamentos do segurados do INSS.
Os cortes na previdência podem gerar impactos diretos nos pagamentos do segurados do INSS. / Crédito: @jeanedeoliveirafotografia / beneficiodoidoso.com.br

A necessidade de redução de gastos públicos

A redução dos gastos públicos é vista como uma medida essencial para equilibrar as contas do governo. No entanto, essa medida traz consigo desafios significativos, especialmente quando se trata da Previdência Social.

Advogados especialistas destacam que a desvinculação do piso previdenciário do salário mínimo seria um ajuste fiscal que penalizaria os mais pobres, aumentando a pobreza e a desigualdade social.

Eles argumentam que os benefícios previdenciários e assistenciais não são poupados ou investidos no mercado financeiro, mas sim diretamente consumidos, melhorando a qualidade de vida e movimentando a economia.

Além disso, eles ressaltam que, em média, cada beneficiário recebe R$ 1.744 e que a maioria dos benefícios pagos pela Previdência Social corresponde a um salário mínimo.

Portanto, a desvinculação do salário mínimo teria um efeito recessivo, diminuindo a arrecadação de tributos sobre o consumo desses beneficiários e gerando desequilíbrio fiscal.

Além disso, teria um impacto significativo nas finanças de 4.101 municípios, onde os recursos da Previdência Social superam os repasses do Tesouro Nacional ao Fundo de Participação dos Municípios.

Um artigo de economistas da Universidade Federal de Minas Gerais, publicado na revista Pesquisa e Planejamento Econômico, alerta para os efeitos sociais adversos de cortes nos benefícios.

Analisando a proposta de emenda à constituição (PEC) 6/2019, que estabelecia um valor menor para o Benefício de Prestação Continuada (BPC), os autores concluem que tais cortes impactariam fortemente as famílias de menor renda, exacerbando a desigualdade social.

Saiba mais: INSS vai pagar aposentados em JULHO com novo REAJUSTE nos benefícios; veja QUANTO receber

Propostas e análises sobre possíveis cortes na Previdência

O Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO) de 2025 prevê um déficit significativo na Previdência Social, com arrecadação de R$ 709,1 bilhões e despesas de R$ 980,9 bilhões.

A proposta de desvincular o piso previdenciário do salário mínimo é vista por alguns economistas como uma forma de conter a expansão do déficit.

Braulio Borges, pesquisador do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV IBRE), sugere que os benefícios deveriam ser reajustados apenas pela inflação, mantendo o poder de compra, mas não necessariamente vinculados ao salário mínimo.

Borges também defende o aumento da arrecadação por meio da futura cobrança de um imposto seletivo sobre produtos que impactam a saúde e o meio ambiente, além de reduzir subsídios ao setor agropecuário.

Segundo ele, esses ajustes poderiam ajudar a equilibrar as contas públicas sem comprometer significativamente os benefícios previdenciários.

Contudo, a implementação de cortes e ajustes na Previdência Social requer uma análise cuidadosa dos impactos sociais e econômicos.

O foco deve ser encontrar um equilíbrio que permita a sustentabilidade fiscal sem agravar a desigualdade social ou comprometer o bem-estar dos beneficiários.

Veja mais: Aposentadoria vai ser reajustada NOVAMENTE? Valor pode ser DESVINCULADO do salário mínimo; entenda o que significa

Fique atento aos cortes!

A discussão sobre cortes na Previdência Social é complexa e envolve múltiplos aspectos, desde a necessidade de equilíbrio fiscal até as implicações sociais de tais medidas.

Especialistas alertam que a desvinculação do piso previdenciário do salário mínimo pode aumentar a pobreza e a desigualdade social, afetando diretamente milhões de brasileiros que dependem desses benefícios.

Enquanto isso, propostas alternativas sugerem ajustes na arrecadação e cortes seletivos para minimizar os impactos negativos.

Encontrar uma solução que equilibre a sustentabilidade fiscal e o bem-estar social é essencial para garantir que as políticas públicas atendam às necessidades da população sem comprometer a estabilidade econômica.

A análise cuidadosa das propostas e seus impactos potenciais é crucial para a tomada de decisões informadas e responsáveis.

Veja mais: Atenção Aposentados: Governo Libera Crédito Especial para Beneficiários do Bolsa Família – Veja Como Solicitar!

Nicole Ribeiro

Formada em Letras - Português pela Universidade do Estado de Minas Gerais, redatora freelancer e revisora de artigos e textos acadêmicos. Apaixonada por gatos e pelo conhecimento.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo