NotíciasBenefícios

Aposentado, saiba como EVITAR cair na análise do INSS e mantenha seu benefício INTACTO!

A análise do INSS pode acabar vetando o pagamento de diversos benefícios, por isso é importante saber como se comportar.

A revisão de benefícios previdenciários é uma medida periódica adotada pelo Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) para garantir que os recursos públicos sejam destinados corretamente a quem realmente tem direito.

Com o anúncio recente do ministro da Previdência Social, Carlos Lupi, de que cerca de 800 mil beneficiários passarão por uma reavaliação, muitos segurados têm dúvidas sobre como se preparar e evitar a perda de seus benefícios.

A seguir, confira as principais medidas que os beneficiários devem tomar para não serem pegos de surpresa durante o pente-fino do INSS.

Os idosos que não quiserem perder benefícios devem tomar cuidado com a nova análise do INSS. Confira.
Os idosos que não quiserem perder benefícios devem tomar cuidado com a nova análise do INSS. Confira. / Crédito: @jeanedeoliveirafotografia / beneficiodoidoso.com.br

Importância da atualização cadastral para segurados do INSS

Manter o cadastro atualizado no INSS é fundamental para evitar problemas durante a revisão dos benefícios.

A atualização cadastral inclui informações pessoais, como endereço, estado civil e dados de contato, além de documentos que comprovem a continuidade da situação que deu origem ao benefício.

Especialistas aconselham que os beneficiários revisem periodicamente suas informações no portal Meu INSS ou nas agências da Previdência Social, garantindo que tudo esteja correto e atualizado.

A advogada previdenciária Maria Faiock ressalta que o risco de perder o benefício é real, especialmente para aqueles que não mantêm seus dados atualizados.

Ela explica que, durante a revisão, o INSS cruza diversas informações para verificar a elegibilidade dos beneficiários. Portanto, ter um cadastro atualizado pode evitar convocações desnecessárias e garantir que o benefício continue a ser pago sem interrupções.

Além disso, a falta de atualização cadastral pode levar à convocação para perícias presenciais, o que pode ser um transtorno para muitos segurados, especialmente aqueles com dificuldades de locomoção. Portanto, manter os dados em dia é uma maneira eficiente de evitar contratempos e garantir a continuidade do benefício.

Veja mais: Aposentados que não cumprirem ESTA regra poderão ficar sem seus pagamentos em JULHO; confira

Preparação para a perícia médica é fundamental para a manutenção dos benefícios

A perícia médica é um dos principais procedimentos durante a revisão de benefícios por incapacidade temporária. O objetivo é verificar se o beneficiário ainda atende aos requisitos para continuar recebendo o auxílio.

Segundo o ministro Carlos Lupi, a revisão incluirá cruzamento de dados e, em alguns casos, novas perícias médicas para confirmar a condição de incapacidade.

Beneficiários que há mais de dois anos não passam por perícia médica devem se preparar para uma possível convocação.

Especialistas explicam que é importante ter todos os documentos médicos atualizados, incluindo laudos, atestados e exames que comprovem a continuidade da incapacidade. Isso facilita a comprovação da necessidade do benefício durante a perícia.

A preparação antecipada pode evitar que o benefício seja cessado indevidamente. Em casos de cessação, os beneficiários devem procurar um advogado especialista em Previdência Social para ajuizar uma ação de restabelecimento do benefício.

A rapidez na resposta pode ser crucial para minimizar os impactos financeiros e garantir que o segurado continue a receber o auxílio necessário.

Veja outros: Aposentados podem CONTINUAR no plano de saúde das empresas desde que cumpram com ESTA regra; entenda

Como o pente-fino do INSS deve beneficiar a todos?

A operação pente-fino visa não apenas assegurar que os recursos sejam utilizados corretamente, mas também gerar economia para os cofres públicos.

Em 2019, uma revisão similar resultou na cessação de 170 mil pagamentos, com uma economia estimada de R$ 2,1 bilhões.

Este ano, o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, anunciou que a revisão pode cortar até R$ 25,9 bilhões do orçamento, embora não tenha especificado quanto será economizado apenas com a revisão dos benefícios previdenciários.

A advogada Luciana Simões de Souza destaca que, embora a revisão seja necessária para evitar fraudes e pagamentos indevidos, ela deve ser conduzida com cuidado para não prejudicar os segurados que realmente necessitam dos benefícios.

A comunicação eficaz e a transparência são essenciais para que os beneficiários compreendam o processo e saibam como se preparar adequadamente.

O presidente do INSS, Alessandro Stefanutto, mencionou que a revisão não tem como objetivo cancelar um número específico de benefícios, mas sim confirmar a regularidade dos pagamentos.

A ideia é garantir que os recursos sejam destinados a quem realmente tem direito, mantendo a sustentabilidade do sistema previdenciário.

Não perca: Segurados do INSS com mais de 60 anos podem receber NOVO benefício que paga extra de R$ 367,89; confira!

Nicole Ribeiro

Formada em Letras - Português pela Universidade do Estado de Minas Gerais, redatora freelancer e revisora de artigos e textos acadêmicos. Apaixonada por gatos e pelo conhecimento.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo