NotíciasINSS

Aproximadamente 800 MIL benefícios temporários estão NA MIRA do INSS: veja COMO se proteger

O INSS está planejando uma varredura de benefícios para determinar quem deve ou não continuar recebendo os valores.

A manutenção da integridade dos benefícios previdenciários é essencial para garantir que os recursos sejam destinados a quem realmente tem direito.

Recentemente, o ministro da Previdência Social, Carlos Lupi, anunciou uma nova operação pente-fino que vai revisar 800 mil benefícios temporários do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Esta revisão busca identificar possíveis irregularidades e assegurar que os benefícios sejam pagos corretamente.

Esta medida, que será implementada a partir de agosto, promete impactar muitos segurados e traz à tona a importância de manter os cadastros atualizados e os documentos em ordem. Entenda.

Em breve, milhares de beneficiários podem acabar sem pagamentos devido ao novo pente-fino do INSS. Confira.
Em breve, milhares de beneficiários podem acabar sem pagamentos devido ao novo pente-fino do INSS. Confira. / Crédito: @jeanedeoliveirafotografia / beneficiodoidoso.com.br

O processo de revisão e suas implicações nos benefícios temporários

O pente-fino anunciado pelo ministro Carlos Lupi visa revisar benefícios temporários que não passam por reavaliação desde 2019. A previsão é que essa revisão ocorra a cada dois anos, mas essa periodicidade não foi cumprida nos últimos anos.

O objetivo principal é checar a validade dos benefícios que estão em vigor há mais tempo, utilizando um sistema de triagem de possíveis irregularidades para corrigir rumos.

Carlos Lupi explicou que o trabalho será realizado em parceria com o setor de perícia médica do Ministério da Previdência Social.

Ele destacou que todos os benefícios temporários com mais de dois anos de duração precisarão passar por um novo exame para confirmar a continuidade do direito.

Essa revisão deve abranger aproximadamente 800 mil pessoas, que serão submetidas a novas perícias para validar a necessidade do benefício.

Para facilitar o processo e evitar a necessidade de comparecimento presencial, o pente-fino será conduzido a partir do cruzamento de dados cadastrais.

Os beneficiários não precisarão ir às agências do INSS, mas serão comunicados caso sejam encontradas irregularidades. Isso visa tornar o processo mais eficiente e menos oneroso para os segurados e para o sistema previdenciário.

Saiba mais: NOVAS regras de prorrogação dos benefícios por incapacidade ACABAM de sair; veja o que muda

Como as análises afetarão segurados?

A operação pente-fino também tem implicações significativas para as finanças públicas. Segundo o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, a revisão dos benefícios é parte de um esforço maior para equilibrar as contas públicas e abrir espaço no orçamento para gastos livres dos ministérios.

A meta é zerar o rombo das contas do governo neste ano, conforme as novas regras fiscais estabelecidas pelo arcabouço fiscal.

O ministro Carlos Lupi enfatizou que o objetivo não é cancelar um número específico de benefícios, mas garantir que apenas aqueles que realmente têm direito continuem recebendo os pagamentos.

A revisão buscará identificar e corrigir irregularidades, assegurando que os recursos sejam destinados adequadamente. Este esforço é essencial para manter a sustentabilidade do sistema previdenciário e garantir que os benefícios sejam pagos de forma justa e eficiente.

No entanto, a operação pente-fino pode gerar apreensão entre os beneficiários, especialmente aqueles que dependem desses pagamentos para seu sustento.

É crucial que os segurados mantenham seus dados atualizados e estejam preparados para responder a eventuais convocações do INSS.

A comunicação eficaz e a transparência do processo são fundamentais para minimizar o impacto negativo sobre os segurados.

Veja mais: INSS vai liberar de R$ 1,4 mil a R$ 7 MIL DIRETO na conta de segurados em julho; veja QUANDO você recebe!

Como escapar da mira do INSS?

Para evitar problemas durante a revisão, os beneficiários devem tomar algumas medidas preventivas. A primeira é garantir que seus cadastros estejam atualizados no INSS.

Informações como endereço, estado civil e documentos pessoais devem estar corretos para evitar convocações desnecessárias e facilitar a comunicação com o órgão previdenciário.

Além disso, é importante que os beneficiários mantenham em dia todos os documentos que comprovem a necessidade do benefício.

Laudos médicos, atestados e exames devem estar atualizados e disponíveis para apresentação, caso sejam solicitados durante a perícia. Isso pode fazer a diferença na manutenção do benefício e evitar a sua suspensão indevida.

Por fim, em caso de cessação do benefício, os segurados devem procurar assistência jurídica especializada o mais rápido possível.

Um advogado previdenciário pode ajudar a ajuizar uma ação de restabelecimento do benefício, garantindo que o segurado continue a receber o suporte necessário enquanto o processo é resolvido.

A rapidez na resposta é crucial para minimizar os impactos financeiros e assegurar que os direitos dos beneficiários sejam protegidos.

Veja mais: Atenção Idosos: Saiba Como Consultar o Resultado da Perícia Médica do INSS!

Perdeu o Prazo para Prorrogar o Auxílio-Doença do INSS? Saiba o que Fazer

Se você perdeu o prazo para solicitar a prorrogação do auxílio-doença do INSS, não se preocupe, ainda é possível regularizar sua situação. Para prorrogar o benefício, é necessário fazer a solicitação 15 dias antes da alta médica.

Caso o prazo seja perdido, o beneficiário deve agendar uma nova perícia médica para avaliar a continuação do benefício.

A diferença entre prorrogar o auxílio e solicitar um novo está no pagamento: na prorrogação, os pagamentos continuam até o resultado da perícia; ao solicitar um novo benefício, os dias não pagos não serão recuperados.

Se a prorrogação for negada, buscar orientação jurídica é recomendado. Com o fim da prorrogação automática, todas as solicitações devem passar por nova perícia.

O que Fazer se Seu Auxílio-Doença for Cortado pelo INSS

Se o seu auxílio-doença foi interrompido pelo INSS, você tem três alternativas para tentar restaurar o benefício. A primeira é apresentar um recurso administrativo no próprio INSS dentro de 30 dias após a suspensão.

Preencha o formulário disponível no site do INSS, descreva sua condição de saúde em detalhes e anexe todos os laudos médicos e exames que possuir. A segunda opção é solicitar um novo auxílio-doença, aguardando 30 dias após o corte do benefício anterior.

Esse caminho pode proporcionar uma resposta mais rápida e permitir que você seja avaliado por um perito diferente. A terceira alternativa é entrar com uma ação judicial contra o INSS.

Apesar de ser a opção mais demorada, é possível obter uma decisão liminar que obrigue o INSS a retomar os pagamentos antes do término do processo.

Reúna toda a documentação médica necessária para aumentar suas chances de sucesso, incluindo laudos, exames e atestados detalhados.

Nicole Ribeiro

Formada em Letras - Português pela Universidade do Estado de Minas Gerais, redatora freelancer e revisora de artigos e textos acadêmicos. Apaixonada por gatos e pelo conhecimento.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo